domingo, 18 de outubro de 2009

FCPorto 4-0 Sertanense

Sérgio Oliveira: Um nome a fixar!
Terceira vitória por 4-0, terceiro bis de Farías. O avançado argentino não fugiu ao que foi habitual nos dois últimos anos frente ao Sertanense e em apenas 45 minutos marcou dois golos. O jogo ficou resolvido bem cedo e aos 10 minutos da partida já a equipa dos escalões inferiores perdia por 2-0 e com menos um homem em campo. A partir daí ficou a faltar saber-se por quanto o tetracampeão português ganharia. Ficou-se pelos quatro, mas mais se viu nos restantes 80 minutos da partida, sobretudo Sérgio Oliveira. O miúdo de apenas 17, que bateu um recorde do clube com a sua estreia, encheu o campo e mostrou grandes pormenores. Foi o melhor do jogo e justificou por completo a aposta de Jesualdo Ferreira. As atenções dos adeptos estavam concentradas em dois argentinos que tinham a sua oportunidade de mostrar qualidade (Prediguer e Valeri), mas foi o jovem português que mais se destacou.
Ernesto Farías também foi dos homens do encontro. Mostrou que podem, como habitualmente, contar com ele. Hulk com os outros dois golos que fizeram o resultado esteve em bom plano, destruindo por completo a defesa contrária, embora com alguns lances de exagerado individualismo que chegaram a irritar Jesualdo Ferreira.

O resultado adequa-se ao que se passou no jogo. Prediguer estreou-se e embora o adversário fosse fraco deu para ver que o médio tem qualidade de passe e presença em campo. Como é óbvio as observações mais fidedignas aguardam por desafios de maior envergadura. Destaque ainda para as estreias dos juniores Yero (que impressiona pela estampa física), Dias e Alex. É de saudar estas oportunidades que têm sido raras no clube nos últimos anos.

Os adeptos portistas marcaram presença em bom número no Estádio do Dragão e fizeram a festa da Taça no fim. Espero que na quarta-feira o Dragão se encha para levar a equipa para uma importante vitória rumo aos oitavos de final da Champions League.

Marcadores: Farias (2) e Hulk (2)

Super Dragão: Sérgio Oliveira

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

10 minutos muito bons, 2 a 0, adversário com menos um e partida resolvida. Depois o colectivismo deu lugar ao individualismo, a qualidade baixou e foi deixar passar o tempo com os olhos nos miúdos - excelente Sérgio Oliveira -e nos mais graúdos que têm sido menos utilizados- Prediger a prometer; Valeri a confirmar os bons pormenores que tem demonstrado; N.A.Coelho e Maincon, são o futuro.

Totalmente infelizes as declarações do treinador do Sertanense.

Um abraço

Gaspar disse...

Gostei do jogo.
Entrámos bem, e assumimos o controlo rapidamente.
Gostei dos júniores, especialmente de Sérgio Oliveira.
Hulk e Farías também estiveram muito bem.

Gaspar

Dragaopentacampeao disse...

Num jogo de dificuldade mínima, Jesualdo operou uma gestão do plantel, dizimado nas últimas duas semanas, pela utilização dos internacionais pelas respectivas selecções.

Sobraram os suplentes à excepção de Beto a que se juntaram alguns jovens da formação. Foi com estes portanto que o professor treinou neste período.

Natural portanto as escolhas para a formação da equipa e seus suplentes para este jogo.

Embora seja prematuro tirar-se ilações do comportamento dos utilizados, face ao andamento e fragilidade do adversário, não poderei escamotear a boa prestação do «menino» Sérgio Oliveira que me surpreendeu pela positiva e a quem se deve dar novas oportunidades.

Desconfio no entanto que o seu futuro passará pelo empréstimo, quando mudar de escalão a exemplo de outras promessas que passaram episodicamente pelo plantel principal. Faz parte da política que tem vindo a ser seguida pela SAD.

O jogo não ofereceu quaisquer dificuldades mas ainda assim deu para notar a qualidade de passe de Prediger, que esteve sereno, atento,lúcido e prático. Não inventou nem complicou, antes pelo contrário. Falta um exame mais exigente. O central Nuno André Coelho, já tinha jogado na lateral direita, agora foi colocado à esquerda. Parece ser pau para toda a colher sem perda de qualidade. Jogador pendular mas vai ter de esperar pela sua oportunidade face à classe dos centrais titulares. O mesmo se passa com Maicon, ainda que neste jogo me parecesse um pouco intranquilo apesar do pouco trabalho.

Esperava um pouco mais de Valeri. Teve como habitualmente bons pormenores,não esteve feliz no remate.

Rodriguez, ainda à procura de ritmo, alternou coisas boas com outras de menor qualidade.

Farías confirmou o instinto de goleador. Continua a ser o avançado portista que menos tempo necessita para marcar. Especialmente contra o Sertanense!

Um abraço

Vitor Daniel disse...

Claramente Sergio Oliveira foi a estrela do econtro, pouco mais se pode dizer do mesmo encontro a não ser que o resultado foi o mesmo, repetição também do Bis de Farias e para variar Bis de Hulk, de resto um exibição normal, perante um Sertanense muito a baixo do F.C.Porto.

Um abraço, http://varanda-do-dragao.blogs.sapo.pt/