quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Atlético de Madrid 0-3 FCPorto

Senhores de Madrid
Uma entrada em grande e uma saída em ombros. O FCPorto protagonizou ontem em Madrid uma grande exibição e um grande resultado. Ainda não estavam decorridos 2 minutos de jogo e Bruno Alves já marcava o primeiro numa cabeçada enorme, na sequência de um canto de Meireles. A entrada não podia ter sido melhor e os minutos que se seguiram também não. Com uma carrossel ofensivo a funcionar em pleno e com Valeri (a peça nova no esquema) a integrar-se muito bem, o FCPorto ia acumulando oportunidades de perigo e jogadas de belo efeito.

O sistema táctico era mutável entre o 4-3-3 e o 4-4-2. A dinâmica dos jogadores fazia o resto. Meireles e Fernando eram donos e senhores do meio campo e Rodriguez e Valeri faziam na perfeição o papel de transição entre os dois esquemas. E foi sem grande surpresa que chegamos ao 0-2. Fucile (enorme exibição) correu pela direita e com um remate forte permitiu que Falcao aproveitasse a recarga de uma defesa incompleta. O FCPorto mandava em Madrid!

Jesualdo apostou em Valeri e em Hulk no ataque ao lado de Falcao e saiu-se muito bem. O argentino, sem rubricar grande exibição, mostrou qualidades e futebol para mais minutos. Fucile dava conta do recado na direita e Álvaro Pereira não permitia espaços pela esquerda. Bruno Alves comandava a defesa e Maicon, o novato na equipa, não tremia perante o ataque madrileno.

A segunda parte foi totalmente comandada pelo FCPorto. Falcao podia ter feito o terceiro numa boa jogada de Hulk. Guarín entrou para o lugar de Valeri e deu mais ao meio campo. O colombiano aparenta estar em bom momento de forma e quando entra na equipa tem-se constituído um excelente activo. Ontem voltou a provar isso mesmo e foi dele a assistência para o 0-3. Um grande golo de Hulk! O brasileiro fuzilou por completo a baliza contrária e culminou uma grande exibição da equipa com um fantástico detalhe pessoal. Esperemos que o Incrível esteja efectivamente de volta.

Até final do jogo mais domínio portista e pormenores de classe. O apuramento ficava fechado com uma fantástica vitória em Madrid e com mais 800 mil euros no bolso. O prestígio na Europa sai reforçado e com carimbo de qualidade.

Destaques para as grandes exibições de Bruno Alves e Fucile e para a estreia auspiciosa de Valeri. Hulk voltou às boas exibições e mostrou que quando joga mais junto a Falcao ou como ponta de lança pode ganhar "asas".

Marcadores: Bruno Alves, Falcao e Hulk.

SuperDragão: Fucile

2 comentários:

dragao vila pouca disse...

Prestígio reforçado, dinheiro no bolso e confiança em alta.

Um Porto quase na máxima força - podiam, vá lá, ter jogado Rolando no lugar de Maicon; Belluschi no lugar de Valeri; e Varela, se tivermos em conta o que mostrou Guimarães, no lugar de Hulk -, mostrou de forma clara e inequívoca que está a crescer a cada jogo e aparece, numa altura muito importante da época, já muito próximo do que pode fazer e agora sim, ao nível do que se espera de um Tetracampeão. Um Porto a consolidar os sinais de retoma que já vêm desde o jogo frente ao Chelsea... Com uma entrada fulgurante, tal como tinha acontecido frente ao Vitória, a equipa portista mostrou ao que ia e ao fim de 15 minutos tinha resolvido o jogo, reduzindo a equipa madrilena a uma equipa que pareceu vulgar - o que nem de perto, nem de longe, corresponde à realidade! Foi um Dragão com uma atitude e um espírito correctos, personalizado, eficaz, que aproveitou a tranquilidade de não ter de estar a lutar pelo apuramento - já garantido -, para evoluir, para ultrapassar etapas, para ganhar confiança, para melhorar a auto-estima, para dizer presente, para dizer em voz alta, contem connosco!

Um abraço

Dragaopentacampeao disse...

Sou dos que defendeu, na antevisão do jogo, apesar da qualificação já garantida, uma postura da equipa, responsável, ambiciosa, capaz de defender o prestígio, na prova rainha do futebol mundial, conciliando os interesses financeiros com os competitivos.

O FC Porto conseguiu superar a minha expectativa vulgarizando o A. Madrid, conseguindo um resultado volumoso e justo.

Gostei da atitude e de alguns nacos de futebol de alta qualidade, a fazer crer que a pior fase se encontra debelada, numa altura em que se acumulam jogos a requererem um FC Porto muito forte.

Foi a fibra de campeão que esteve no Vicente Calderón. É para manter daqui para a frente. Assim teremos o Dragão sempre cheio e as vitórias serão o corolário natural.

Um abraço